post

Explorar espaços e atividades da XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará em visitas guiadas e construir novas pontes na relação com o livro e a leitura, ampliando e conectando centenas de universos particulares. Com esse objetivo, o Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura (Secult), realiza o programa Visitação de Escolas/Entidades Governamentais e Não Governamentais, como parte da programação da Bienal, que ocorre de 16 a 25 de agosto de 2019 no Centro de Eventos do Ceará, sob o tema “As Cidades e os Livros”.

Por meio desta ação, alunos da Educação Básica e pessoas vinculadas a outras instituições poderão ter acesso a diferentes momentos e locais do evento, como espetáculos de literatura oral, encontro com escritores, contações de história e mediações de leitura, em percursos pelas “ruas da cidade” da Bienal. Sem falar na feira de livros, que deve reunir mais de 150 expositores, entre editoras, livreiros, distribuidores e autores independentes.

Para isso, é necessário que as escolas e instituições agendem as visitações previamente. Para escolas públicas de Educação Infantil e Ensino Fundamental de Fortaleza, o agendamento será realizado por meio do Sistema da Secretaria Municipal de Educação de Fortaleza (SME); para escolas públicas Estaduais com Sede em Fortaleza, pela Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza; para Escolas públicas estaduais sediadas nas macrorregiões do interior do Estado e Região Metropolitana acontecem por meio das Coordenadorias Regionais de Desenvolvimento da Educação. Confira os links de inscrição, abaixo:

“A visitação escolar é, muitas vezes, o primeiro ou o único momento que esses alunos têm de contato com um escritor ou escritora, um contador de história, um ilustrador. A crianças têm o livro em casa ou na escola mas podem não fazer ideia de como ele chegou ali, que percurso aquele livro cumpriu – da criação até a impressão e distribuição”, justifica Goreth Albuquerque, coordenadora da XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará.

Ela acredita que, ao encontrar um autor, que frequentemente aparece como uma figura tão distante, o aluno passa a compreender melhor toda a cadeia e a literatura como profissão possível. “O encontro mostra alguém que vive de escrever, de ilustrar, e as crianças e os jovens ficam muito encantados com isso. É como se a experiência fosse mais intensiva, porque está tudo ali concentrado em um único espaço e período de tempo. Em um dia de visitação o aluno pode ver a apresentação de um conto da tradição oral e, logo em seguida, a narração de um livro, inclusive pelo próprio autor. Isso é importante”, reforça.

A última edição da Bienal recebeu 34.497 alunos cadastrados previamente durante os dias de programação – uma média diária de 3.450 alunos. A expectativa é de um número ainda maior neste ano. Mas, além de crianças e adolescentes, Goreth destaca a presença de outros públicos. “Às vezes os Centro de Referência da Assistência Social (Cras) levam pessoas atendidas, assim como os Centros de Atenção Psicossocial (Caps) e ONGs. Temos ainda frequência ampla de alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA)”, elenca.

Segundo a coordenadora, visitantes desse perfil da última edição da Bienal já estão ansiosos pela 13ª edição do evento. “Soubemos pela Secretaria Municipal de Educação (SME) que alguns grupos já estão comentando e perguntando sobre as visitações neste ano”, comemora.

Goreth reforça a importância do agendamento prévio para que as visitações sejam aproveitadas da melhor maneira possível. “É um procedimento necessário para termos uma logística mais organizada e produtiva. Apesar de o acesso ao Centro de Eventos ser livre, a Bienal é mais do que a Feira, há também uma larga programação e o agendamento nos permite organizar a participação na programação, da melhor forma possível, de modos que seja melhor aproveitada pelos alunos. Queremos receber todos de um jeito mais confortável. Assim a experiência tem mais chances de ser realmente transformadora, de possibilitar um mergulho na fruição do livro e da leitura”, pontua.

A coordenadora lembra ainda que o transporte dos grupos fica a cargo das instituições – no caso das escolas da rede pública de ensino é de responsabilidade das Secretarias da Educação do Ceará (Seduc) e de Fortaleza (SME). A cada 20 pessoas no grupo, é necessário um responsável da instituição de origem. Proponentes devem aguardar retorno de confirmação, pois o dia e o horário serão analisados pela coordenação responsável pela visitação.

A XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará é apresentada pelo Ministério da Cidadania e pela Secretaria de Cultura do Estado do Ceará. Realizada pelo Instituto Dragão do Mar, Governo do Estado do Ceará, por meio da Secult, e Governo Federal, a Bienal do Livro conta com o patrocínio do Bradesco, da Cagece, Grendene e Cegás, e com o apoio do Sesc-CE, Universidade de Fortaleza (Unifor), Sistema Verdes Mares, TV Ceará, Café Santa Clara, RPS Eventos, Prefeitura de Fortaleza e das Secretarias de Educação (Seduc), Turismo (Setur) e Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Estado do Ceará (Secitece).


Serviço

XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará
De 16 a 25 de agosto, de 10h às 22h
Centro de Eventos do Ceará
facebook.com/BienalDoLivroDoCeara
instagram.com/bienaldolivroce
bienaldolivro.cultura.ce.gov.br


Agendamento para visitações de escolas e instituições à Bienal Internacional do Livro do Ceará:

a) Escolas públicas de Educação Infantil e Ensino Fundamental – por meio do Sistema da Secretaria Municipal de Educação de Fortaleza (SME);
b) Escolas públicas estaduais com sede em Fortaleza – pela Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
c) Escolas públicas estaduais sediadas nas macrorregiões do interior do Estado e da Região Metropolitana – por meio das Coordenadorias Regionais de Desenvolvimento da Educação
d) Escolas públicas municipais do Interior do Estado – por meio do link forms.gle/PDVAoQWzWYh3W9rW8
e) Escolas da rede privada de ensino e outras instituições – por meio do link forms.gle/PDVAoQWzWYh3W9rW8