post
Com atividades focadas nas experiências do livro e da leitura, programação abraça a transversalidade de temas

Ofício tão importante, o magistério tem merecidamente, e há pelo menos quatro edições, um espaço próprio na XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará. Assim é o Salão do Professor, que durante a programação do evento vai receber mesas-redondas, palestras, rodas de leitura e outras atividades não exclusivas para professores, mas todas formatadas sob a perspectiva do ensino e da educação. A Bienal acontece de 16 a 25 de agosto, no Centro de Eventos do Ceará, sob o tema “As Cidades e os Livros”.

Nesta quarta edição, sob coordenação das professoras Monique Cordeiro e Lídia Eugênia, o Salão do Professor incorpora os conceitos que guiaram a construção da Bienal e emerge como um espaço diverso e plural, menos especializado e mais pautado pela experiência da leitura.

“Antes, o Salão trazia uma proposta de viés bem mais pedagógico. Neste ano pensamos: ‘que tipo de provocações podemos levar aos professores?’. Foi quando Goreth Albuquerque, coordenadora da Bienal, sugeriu três perspectivas: formação, representatividade e foco principal no livro e na leitura”, explica Monique Cordeiro.

Assim, embora as discussões continuem relacionadas a temáticas do ensino e da escola, elas assumem um caráter interdisciplinar, ao incorporarem questões dos universos indígena, negro, feminista, LGBTI e outros; e privilegiarem as instâncias do livro e da leitura. “Abordamos, por exemplo, a presença da mulher na escola; pautas étnicas e raciais; a produção acadêmica; questões de acessibilidade; e da biblioteca como espaço fundamental nas escolas. Tudo isso, sobretudo, por meio de experiências estéticas e literárias”, resume Monique.

Para viabilizar essas experiências, a fruição da leitura foi escolhida como estratégia principal. “Foi algo bastante conversado em nossas reuniões. Mesmo nos debates e nas mesas essa fruição estará presente: haverá uma leitura sempre no início de cada um. Pedimos aos convidados que escolham seus livros mais queridos para esse momento”, detalha Monique.

Nesse sentido, um dos destaques da programação do Salão é a roda de conversa “Os livros que nós amamos”, na qual os participantes são orientados a levarem sua obra favorita para uma leitura coletiva. O objetivo é potencializar uma atividade normalmente silenciosa e solitária, e perceber que mudanças ocorrem quando a leitura é compartilhada e feita em voz alta.

“Quando trazemos esse ato para o espaço público, a voz deixa de ser interna, multiplica-se, e entra em diálogo com outras, em um processo conduzido pelo mediador de leitura. Nesse momento, ler passa a ser um ato ainda mais político – no contexto atual do País, algo extremamente importante. No Salão, a ideia é trazer os professores para esse encontro. Quando leio e compartilho um livro, posiciono-me como educador. E há muitos ganhos quando temos uma categoria articulada”, pontua a coordenadora.

A atividade acontece no segundo dia da Bienal (17/08), à tarde, mas a abertura do Salão ocorre antes, pela manhã, com proposta semelhante. Na fala “Memórias, afetos e leituras na escola”, as escritoras Ana Miranda e Ângela Gutierrez deverão abordar os impactos que os livros têm nesse período da vida, como podem deixar lembranças e contribuir para a formação do indivíduo. “Ficamos pensando de que maneira poderíamos apresentar esta edição do Salão, e chegamos à ideia de ressignificar essa noção do livro por obrigação, como algo mais do que apenas o espaço da língua portuguesa no processo escolar”, justifica Monique.

“Como posso trazer uma história que vai prover memórias e me possibilitar acessar o outro, ou outras realidades? Que recursos tenho para ampliar a experiência da leitura? Sim, existem as obrigações escolares – nos conteúdos, nas tarefas, nas avaliações -, mas essa provocação abre caminhos para que o livro não seja apenas isso”, completa a coordenadora.

O Salão do Professor inclui ainda apresentações culturais como parte do processo de experiências estéticas. “Teremos apresentações de alunos da rede pública e de jovens de algumas comunidades de Fortaleza. A participação dos professores nestes momentos também é importante porque contribui para que eles se tornem multiplicadores desse tipo de processo. Em parceria com a Secretaria da Educação (Seduc) teremos ainda um espaço para docentes apresentarem suas experiências pedagógicas nas escolas”, finaliza Monique.

A XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará é apresentada pelo Ministério da Cidadania e pela Secretaria de Cultura do Estado do Ceará. Realizada pelo Instituto Dragão do Mar, Governo do Estado do Ceará, por meio da Secult, e Governo Federal, a Bienal do Livro conta com o patrocínio do Bradesco, da Cagece, Grendene e Cegás, e com o apoio do Sesc-CE, Universidade de Fortaleza (Unifor), Sistema Verdes Mares, TV Ceará, Café Santa Clara, RPS Eventos, Prefeitura de Fortaleza e das Secretarias de Educação (Seduc), Turismo (Setur) e Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Estado do Ceará (Secitece).

Confira a programação do Salão dos Professores:

Local: Sala 01- Mezanino 02

Dia 17/08

Horário: 10 às 12h

Atividade: Abertura – “Memórias, afetos e leituras na escola”

Convidadas: Ana Miranda e Ângela Gutierrez”. Mediação: Lídia Cavalcante(CE) e Monique Cordeiro (CE)

Horário: 14 às 16h

Atividade: Aula Espetáculo “A memória na geografia do corpo e da cidade”.

Convidada: Juliana Diniz (CE)

Horário: 16h às 18h

Atividade: Experimentações e as artes do fazer na escola – professores e professoras da rede pública de ensino – SEDUC

Horário: 18h às 19h

Atividade: Mediação de leitura: “Os livros que amamos”, (Venha e traga o seu livro preferido)

Mediação: Fátima Furtado

Dia 18/08

Horário: 10 às 12h

Atividade: Oficina “Formação de Mediadores de Leitura”

Convidada: Lídia Cavalcante

Horário: 14h às 16h

Atividade: “A poema: escrita poética feminina na literatura contemporânea”. Abertura com leitura de livros que amamos

Convidadas: Ma Njanu (CE), Nina Rizzi (CE). Mediadora: Monique Cordeiro

Horário: 16h às 18h

Atividade: Experimentações e as artes do fazer na escola – professores e professoras da rede pública de ensino – SEDUC.

Horário: 18h às 19h

Atividade: Diálogos Educacionais (Editora Dummar)

Convidado: José Pacheco (Portugal). Mediadora: Carla Lam, Helena Leite e Guga Dorea

Dia 19/08

Horário: 10h às 12h

Atividade: Oficina “Os jovens e a leitura”

Convidado: Kelsen Bravos (CE)

Horário: 14h às 16h

Atividade: “O professor leitor: um provocador de experiências estéticas e literárias”

Convidadas: Socorro Acioli (CE), Regina Machado (SP). Mediação: Fábio Delano (CE)

Horário: 16h às 17h

Atividade: “As artes, os fazeres e os dizeres da escola e da comunidade” – Apresentação do Sarau Bate Palmas – Cia Bate Palmas

Horário: 17h às 19h

Atividade: Diálogos 1 – Literatura e subjetividade: Biblioterapia.

Convidadas: Virgínia Bentes (CE), Jaqueline Assunção (CE). Mediação: Laiana Sousa (CE)

Dia 20/08

Horário: 10h às 12h

Atividade: Oficina “Mulheres na Literatura: da leitura à escrita poética”

Convidada: Monique Cordeiro (CE)

Horário: 14h às 16h

Atividade: Mesa “Vozes de resistência étnica-racial e a educação”

Convidados: Daniel Munduruku (PA) e (CE) e Henrique Cunha (CE). Mediação: Fátima Vasconcelos (CE)

Horário: 16h às 17h

Atividade: Homenagem ao professor escritor Henrique Cunha Jr – Apresentação do Grupo Verbo di Verso

Horário: 17h às 19h

Atividade: Diálogos 2 – Literatura, arte e ciência: uma equação possível

Convidados: Idelfrânio Moreira (CE), Graciele Karine Siqueira (CE). Mediação: Tadeu Feitosa (CE)

Dia 21/08

Horário: 10h às 12h

Atividade: Oficina “ Literatura marginal na escola”

Convidada: Tuyra Andrade (CE)

Horário: 14h às 16h

Atividade: Mesa “Professores, bibliotecários, leitores e a biblioteca na escola”

Convidados: Sarah Diva Ipiranga (CE), Tadeu Feitosa (CE) e Franciele Busico (SP). Mediação: Lidia Cavalcante

Horário: 16h às 17h

Atividade: “As artes, os fazeres e os dizeres na escola e na comunidade”- Apresentação do grupo Movimento Hip-hop Nós por Nós

Horário: 17h às 19h

Atividade: Diálogos 3 – Acessibilidade e Educação

Convidados: Georgia Tath Lima de Oliveira (CE), Jôana Páscoa (CE). Mediação : Laiana Sousa (CE)

Dia 22/08

Horário: 10h às 12h

Atividade: Oficina “Perto dos corações selvagens – Literatura e movimento”

Convidadas: Izabel Gurgel (CE) e Andréa Bardawil (CE)

Horário: 14h às 16h

Atividade: “A leitura literária e a leitura acadêmica: diálogos possíveis em ambientes universitários”

Convidados: Raymundo Netto (CE), Eliana Yunes (RJ). Mediação: Lilian Abreu (CE)

Horário: 16h às 17h

Atividade: Aula espetáculo: “Por onde passa a leitura”

Convidada: Eliana Yunes (RJ)

Horário: 18h às 19h

Atividade: Apresentação do Espetáculo Marias de Mandacaru – Dança étnica contemporânea (CE) – Cia Antique Soul e Alinne Madelon


Serviço:

XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará

De 16 a 25 de agosto, de 10h às 22h

Centro de Eventos do Ceará

facebook.com/BienalDoLivroDoCeara

instagram.com/bienaldolivroce

bienaldolivro.cultura.ce.gov.br