post
Foto: Felipe Abud

Festival de Ilustração do Ceará da XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará é procurado tanto pelas crianças, por conta das oficinas, quanto pelo público adulto. No fim de semana, o destaque foi o bate-papo com o ilustrador Odilon Moraes (SP)

Em todas as edições da Bienal Internacional do Livro do Ceará, o espaço mais movimentado é sempre o pavilhão da Feira de Livros. Mas no meio da correria para a aquisição dos livros nos estandes do evento há um cantinho ainda mais agitado. “Quando colocamos os papéis e os lápis coloridos nas mesas, parece que atrai”, brinca Eduardo Azevedo, um dos coordenadores do Festival de Ilustração do Ceará, que chega à sua quarta edição na Bienal.

Ele se refere aos grupos de crianças e adolescentes que se revezam no estande do Festival para as oficinas livres de desenho. A atividade costuma ser rápida: em cerca de 30 minutos, os alunos de escolas que visitam a Bienal chegam no local, ocupam as mesas, recebem o material e desenham. Pode parecer pouco, mas impressiona o que as mãozinhas ágeis conseguem fazer em alguns minutos. “Parecem aves de arribação: vêm, ficam esse tempinho e vão, porque como quase todos eles estão em visita escolar, dispõem de apenas um turno para aproveitar a programação. Tem muita coisa que eles querem ver, especialmente na Feria de Livros”, explica Eduardo.

De fato, a rotatividade é grande, e depende diretamente da demanda das escolas, que aumenta nos dias úteis. “Posso trazer o meu grupo? São dez crianças do segundo ano”, perguntou uma professora ao coordenador. Foi o que bastou para ser atendida. Em pouco tempo os pequenos já estavam preenchendo as folhas em branco. “É uma experiência breve, mas sempre requisitada. Parece que já entranhada neles essa ideia de um espaço para desenhar”, observa Eduardo.

Outra atividade do espaço é a Ilustr(A)ção – produção coletiva de histórias ilustradas, também voltada a crianças e adolescentes, mas em formato diferente. Junto aos coordenadores, os alunos se reúnem para uma sessão de contação de história e fazem desenhos de acordo com a narrativa, em “tempo real”. 

No sábado (17), a programação de palestras teve início com o homenageado desta edição do Festival, o jornalista, ilustrador, designer gráfico e professor aposentado da UFC Geraldo Jesuí­no, que bateu um papo com o público.

Foto: Felipe Abud

No domingo (18), foi a vez de um dos convidados mais aguardados da programação encantar a plateia com uma verdadeira aula sobre livros ilustrados. Referência nacional no assunto, Odilon Moraes (SP) acumula prêmios por sua obra para crianças. É autor ou coautor de títulos como “Olavo”, “Lá e Aqui”, “Rosa” e “Casa de Passarinho”. Em sua fala, ele abordou aspectos fundamentais da ilustração de livros, diferenciando-a da ilustração tradicional e mostrando como a prática tem íntima relação com a escrita verbal. “A ilustração participa do mundo do livro, ela é literatura. Porque a imagem, assim como as palavras, pode organizar o andamento da história, construir o tempo da narrativa”, justificou. “Em um livro ilustrado, imagens e palavras se cruzam, interferem uma no significado da outra, podem falar a mesma coisa de maneiras diferentes ou coisas opostas. E é essa contradição que pode trazer o enunciado”, explicou.

Para Odilon, é essa “dança” entre imagem e palavra o grande diferencial de um bom livro ilustrado. “E essa forma de escrever, na minha opinião, foi uma das maiores transformações ocorridas na literatura infantil nos últimos tempos”, destaca.

Até o dia 25 (domingo), o Festival da Ilustração do Ceará vai receber mesas e bate-papos sobre temas diversos relacionados à ilustração, como grafite na urbe, negritude, feminismo e censura.

Sobre a Bienal

A XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará é apresentada pelo Ministério da Cidadania e pela Secretaria de Cultura do Estado do Ceará. Realizada pelo Instituto Dragão do Mar, Governo do Estado do Ceará, por meio da Secult, e Governo Federal, a Bienal do Livro conta com os patrocínios de Bradesco, Cagece, Grendene e Cegás, e com os apoios de Fecomércio, Sebrae, Universidade de Fortaleza (Unifor), Unilab, TV Ceará, Sistema Verdes Mares, Grupo O Povo, Café Santa Clara, RPS Eventos, Câmara Cearense do Livro, Sindilivros-CE, Câmara Brasileira do Livro (CBL), Associação Brasileira de Difusão do Livro (ABDL), Associação Nacional de Livrarias (ANL), Prefeitura de Fortaleza e das Secretarias de Educação (Seduc), Turismo (Setur), Cidades (SCidades) e Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Estado do Ceará (Secitece).


Serviço
XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará
De 16 a 25 de agosto, de 10h às 22h
Centro de Eventos do Ceará
facebook.com/BienalDoLivroDoCeara
instagram.com/bienaldolivroce
bienaldolivro.cultura.ce.gov.br