post
Foto: Felipe Abud

A sala “O Inventário do Cotidiano”, no segundo andar do Centro de Eventos, está recebendo doações de livros para futura distribuição para bibliotecas comunitárias

A palavra é livre, nada mais justo que o livro também seja pensado como um objeto que possa circular o máximo possível. Como uma forma de compartilhar a literatura, os coletivos “Rede Jangada Literária”, “Movimento Livro Livre” e “Viva a Palavra” uniram-se no propósito de melhorar o acervo de livros de bibliotecas comunitárias da capital e do interior cearenses para que elas sirvam de espaços de referência em transformação cultural. A sala “O Inventário do Cotidiano”, no Mezanino 2, segundo andar do Centro de Eventos, está recebendo doações de obras dos mais diversos temas. Todos os livros são aceitos e, depois de uma análise e triagem, serão doados para bibliotecas comunitárias em atividade em Fortaleza e municípios do interior.

O espaço também oferece oportunidade de trocas. A cada dois livros doados é possível escolher um para levar para casa. O local já recebeu mais de 3.000 obras ao longo dos dias de Bienal. A ação acontece em um momento propício, pois na própria Bienal está sendo realizado o “IX Encontro do Sistema de Bibliotecas”, que reúne bibliotecários e gestores do sistema de todo o Estado para discutir políticas públicas sobre os livros. As bibliotecas comunitárias entraram na pauta do encontro como uma nova ferramenta de compartilhar e propagar a leitura onde as bibliotecas públicas não conseguem chegar. 

Deia Dantas uma das ajudantes do espaço explica que a principal vantagem das bibliotecas comunitárias é a comodidade. “Na biblioteca comunitária o livro é livre, não é preciso fazer cadastro prévio, pode pegar qualquer um, levar para casa, e compartilhar com alguém depois”, comentou a voluntária.  A iniciativa também foi aprovada pelo público: “acho importante essa iniciativa, como eu já li estes livros quero dar oportunidade para outras pessoas conhecerem a obra”, disse a assistente social Luciana Assunção, que aproveitou a oportunidade para levar novas coleções para casa.

A co-gestora da rede de leitura Jangada Literária, Alilian Gradela, explica como é feito o cadastramento das bibliotecas comunitárias. “Primeiro fazemos um mapeamento dentro do sistema estadual de bibliotecas e começamos a dialogar para dar o apoio a elas. Trabalhamos em conjunto na formação de leitores, com o objetivo de que as bibliotecas tenham mediadores de leitura preparados para receber o público e realizar atividades dentro do espaço. Em contrapartida, a biblioteca tem que estar disposta a participar de reuniões, encontros, comissões, porque trabalhamos com  políticas públicas e monetização de recursos para poder ajudar todas elas”, destacou Alilian.

Foto: Felipe Abud

A “Rede de Leitura Jangada Literária” é um coletivo composto por onze bibliotecas comunitárias, dez em Fortaleza e uma em São Gonçalo do Amarante. O “Movimento Livro Livre” incentiva a leitura e o compartilhamento de livros, que fomenta a criação e o apoio a bibliotecas comunitárias livres como proposta de inclusão social e acesso à cultura.  Programa de extensão da Universidade Estadual do Ceará, o “Viva a Palavra” é um projeto que através de ações literárias busca fortalecer as práticas de letramento crítico das juventudes que residem nas periferias de Fortaleza.

O visitante da Bienal também pode colaborar na formação de leitura dos jovens e compartilhar seus livros! A sala “O Inventário do Cotidiano”, no Mezanino 2, funciona até o domingo (25). No local também ocorrem lançamento de livros, oficinas literárias, mesas redondas, encontros com autores e quadrinistas do mundo geek. A sala está inserida no espaço “Literatura Juventude e Periferia” e recebe programação para o público jovem. 

Sobre a Bienal

A XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará é apresentada pelo Ministério da Cidadania e pela Secretaria de Cultura do Estado do Ceará. Realizada pelo Instituto Dragão do Mar, Governo do Estado do Ceará, por meio da Secult, e Governo Federal, a Bienal do Livro conta com os patrocínios de Bradesco, Cagece, Grendene e Cegás, e com os apoios de Fecomércio, Sebrae, Universidade de Fortaleza (Unifor), Unilab, TV Ceará, Sistema Verdes Mares, Grupo O Povo, Café Santa Clara, RPS Eventos, Câmara Cearense do Livro, Sindilivros-CE, Câmara Brasileira do Livro (CBL), Associação Brasileira de Difusão do Livro (ABDL), Associação Nacional de Livrarias (ANL), Prefeitura de Fortaleza e das Secretarias de Educação (Seduc), Turismo (Setur), Cidades (SCidades) e Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Estado do Ceará (Secitece).


Serviço
XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará
De 16 a 25 de agosto, de 10h às 22h
Centro de Eventos do Ceará
facebook.com/BienalDoLivroDoCeara
instagram.com/bienaldolivroce
bienaldolivro.cultura.ce.gov.br