post

Na oportunidade, o secretário da Cultura do Ceará, Fabiano Piúba, adiantou o tema e alguns dos curadores da Bienal do Livro do Ceará de 2021

Tem palavra que é feito semente, que para entender, alcançar a sua complexidade e compreender suas nuances, é necessário tempo, é preciso deixá-la crescer em terreno fértil. Já tem outras que são feito metrópoles, parecem crescer numa velocidade absurda, mudam desenfreadamente, a cada piscar de olhos ela se torna maior, ganha mais sentido, chega mais longe.

A XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará recebeu os dois tipos. Em 10 dias de programação das 9h até 22h, palavras de Chico Alvim, Frei Betto, Conceição Evaristo, Ailton Krenak e de outras dezenas de escritores e entusiastas da leitura ecoaram pelo Centro de Eventos e se espalharam por Fortaleza e por todos os municípios que receberam a Bienal Fora da Bienal, sem contar nas memórias, nos corações e nas prateleiras dos 450 mil visitantes do evento que puderam adquirir mais de 90 mil títulos expostos na Feira do Livro.

E já que tudo começou em um cortejo, dez dias atrás, o encerramento, no domingo (25), não poderia ser diferente. Carlos Malta, Marimbanda, Zé do Norte, Irmãos Aniceto, Pedro Madeira e Banda Cabaçal Palmares atravessaram o Centro de Eventos em festa e trouxeram para o palco do salão Terreiro em Sonho todo o encanto da música popular cearense. Depois, Carlos Malta subiu ao palco e convidou cada um dos seus companheiros de cortejo para se apresentarem ao público do Terreiro em Sonho.

No salão também foi exibido um vídeo com os momentos mais emblemáticos da programação, produzido pela equipe de audiovisual da Bienal do Livro durante os 10 dias de evento, dentro e fora da Bienal. Na projeção, o público relembrou da música de Marlui Miranda à poesia do ganhador do Jabuti Mailson Furtado.

Fazendo uma pausa na apresentação musical, o secretário Fabiano Piúba subiu ao palco e convidou Suzete Nunes, secretária executiva do planejamento e gestão interna da Cultura; Ana Miranda, Carlos Vasconcelos e Inês Cardoso, curadores; Goreth Albuquerque, coordenadora da Bienal, e Luisa Cela, secretária executiva da Cultura. Após os agradecimentos de Goreth Albuquerque e Ana Miranda, esta última lembrando especialmente das pessoas da limpeza e dizendo “elas são mais importante do que nós”, Fabiano Piúba comemorou mais uma edição da Bienal: “muito mais do que uma ação do Estado, da Secult, a Bienal é da sociedade do Ceará, de cada um que veio e apostou na importância dela, não só para o Ceará, mas para o Brasil”.

Além de celebrar a edição deste ano, o secretário da Cultura adiantou a XIV Bienal Internacional do Livro, que acontecerá em 2021 e terá como tema a “Diversidade”. “A diversidade em sua plenitude, diversidade étnica, política, de gênero, e, para além da diversidade humana, a diversidade planetária, dos biomas”, falou Fabiano Piúba. “O tema da próxima Bienal está voltado para refletir o pensamento crítico da integração entre a natureza e a humanidade a partir dessa diversidade. E para isso nós já temos dois nomes confirmados para a curadoria. Um está aqui, Talles Azigon, poeta e gestor de uma das bibliotecas mais bonitas que eu já vi, a Livro Livre Curió. A outra é Conceição Evaristo. Outros dois nomes estamos esperando confirmar o convite, vocês vão saber em breve”, adiantou ao público que aplaudiu as escolhas.

Sobre a Bienal

A XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará é apresentada pelo Ministério da Cidadania e pela Secretaria de Cultura do Estado do Ceará. Realizada pelo Instituto Dragão do Mar, Governo do Estado do Ceará, por meio da Secult, e Governo Federal, a Bienal do Livro conta com os patrocínios de Bradesco, Cagece, Grendene e Cegás, e com os apoios de Fecomércio, Sebrae, Universidade de Fortaleza (Unifor), Unilab, TV Ceará, Sistema Verdes Mares, Grupo O Povo, Café Santa Clara, RPS Eventos, Câmara Cearense do Livro, Sindilivros-CE, Câmara Brasileira do Livro (CBL), Associação Brasileira de Difusão do Livro (ABDL), Associação Nacional de Livrarias (ANL), Prefeitura de Fortaleza e das Secretarias de Educação (Seduc), Turismo (Setur), Cidades (SCidades) e Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Estado do Ceará (Secitece).


Serviço
XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará
De 16 a 25 de agosto, de 10h às 22h
Centro de Eventos do Ceará
facebook.com/BienalDoLivroDoCeara
instagram.com/bienaldolivroce
bienaldolivro.cultura.ce.gov.br