CURADORES

Conceição Evaristo

Conceição Evaristo (Maria da Conceição Evaristo de Brito)

Professora aposentada do Município do Rio de Janeiro, escritora e ensaísta, nasceu em Belo Horizonte, em 29/11/46. Reside desde 1973 no Rio de Janeiro.  Doutora em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense (UFF), mestre em Literatura Brasileira pela PUC Rio, e graduada em Literatura Brasileira pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). 
 
Estreou na literatura em 1990, na série Cadernos Negros – antologia editada anualmente pelo grupo Quilombhoje, de São Paulo, um coletivo de escritores afro-brasileiros reunidos, desde 1978. A partir de então, seus textos vêm obtendo cada vez mais leitores nacionais e estrangeiros. 
 
Participações em antologias internacionais 
Alemanha: “Schwarze prosa” e “Schwarze poesie” (1993)
Inglaterra: “Moving beyond boundaries: international dimension of black women’s writing” (1995)  e “Women righting – Afro-brazilian Women’s Short Fiction” (2005)
Estados Unidos: “Finally Us: contemporary black brazilian women writers” (1995); “Callaloo”, vol. 18 e 30 (1995, 2008),  “Fourteen female voices from Brazil” (2002)
África  do Sul: “Chimurenga People” (2007)  
Angola: “Como se o mar fosse mentira” (2006)
 
Participações em eventos internacionais, como: 7th Internacional Caribbean Women Writers and Scholars, em Maygüez, Porto Rico; X Feira Internacional do Livro em Havana, Cuba; Congresso de Escritoras Brasileiras, em New York, Estados Unidos; Congresso da LASA, em San Francisco; Dia Internacional da Mulher, em Maputo, Moçambique, e  em Pretória, África do Sul; Festival Mundial de Arte Negra (FESMAN), em  Dakar, Senegal; Dia da Língua Portuguesa, em São Tomé e Príncipe; 35º Salão do Livro, em Paris, França.
 
Obras individuais: 
“Ponciá Vicêncio”, romance, Belo Horizonte, Mazza Edições, 2003.
“Becos da memória”, romance, Belo Horizonte, Mazza Edições, 2006, 2ª Edição, Editora Mulheres. 
“Poemas da recordação e outros movimentos”, antologia poética, Belo Horizonte, Nandyala, 2008. 
“Insubmissas lágrimas de mulheres”, antologia de contos, Belo Horizonte, Nandyala, 2011. 
“Olhos d’água”, antologia de contos, Rio de Janeiro, Pallas Editora, 2013; “Histórias de leves enganos e parecenças”, Rio de Janeiro, Editora Malê, 2016.
 
A produção de Conceição Evaristo abarca poesia, contos, romances e ensaios literários, abordando assuntos relacionados à educação, gênero e relações étnicas na sociedade brasileira. Além de participar de eventos propostos acadêmicos, Conceição Evaristo ao longo de sua carreira tem marcado a presença nos movimentos sociais negros e de mulheres negras.
TAlles Azigon

Talles Azigon (José Talles da Silva Soares)

Poeta e escritor com 5 livros publicados e participações em diversos outros livros, revistas, jornais, zines e publicações. Produtor cultural, contador de histórias, editor, mediador de leituras e curador de eventos literários. Co-curador e Produtor da Bienal Internacional da Une (Edição 2017 – Fortaleza e 2019 – Salvador) 

Foi coordenador do Núcleo de Juventude na XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará. Foi Secretário Geral do Conselho de Políticas Culturais da Cidade de Fortaleza, sendo o titular representante da Literatura. Criador da Livro Livre Curió Biblioteca Comunitária e um dos criadores da Editora Substânsia. Integrante do Coletivo Templo da Poesia, que atua com formação em literatura, poesia, performances poéticas, recitais e saraus de poesia. Criador da Biblioteca LGBTQI+ Arte de Amar, na comunidade do Curió.  

Atua principalmente nas áreas de Cultura e Periferias, Cultura e Infância, Cultura e Juventude e Cultura LGBTQIAP+. Pesquisa leitura e mediação de leitura. Na internet, atua como criador de conteúdos de literatura, com foco maior em leitura e poesia.

Tércia Montenegro

Tércia Montenegro

É professora, fotógrafa e escritora brasileira com graduação em Letras pela Universidade Federal do Ceará (UFC), mestrado em Literatura Brasileira e doutorado em Linguística pela mesma instituição. Desde 2009, é professora do Departamento de Letras Vernáculas da UFC.

Sua obra de estreia foi o livro de contos “O Vendedor de Judas” (Edições UFC; 2ª ed., Fundação Demócrito Rocha), em 1998, que recebeu o prêmio Funarte. Esse livro é adotado, desde 2002, como paradidático em diversas escolas. No ano de 2008, foi selecionado pelo PNBE do MEC como um título recomendado pelo governo para o Ensino Fundamental. 

Em 2001, publicou o livro “Linha Férrea” (São Paulo: Lemos Editorial, 2001; 2a. ed pela Grua em 2021) , através do Prêmio Redescoberta da Literatura Brasileira, promovido pela Revista Cult. O Grupo Teatral Cabauêba adaptou oito contos do livro para o teatro. A peça homônima ficou em cartaz nos teatros Sesc Emiliano Queiroz e Dragão do Mar no ano de 2004. Seu terceiro livro de contos, “O Resto de teu Corpo no Aquário”, foi lançado em 2005 pela Secretaria de Cultura do Estado do Ceará, através do Prêmio de Incentivo à Publicação e Divulgação de Obra Inédita. 

A escritora também publicou alguns títulos em literatura para crianças e jovens. Em 2013 o seu livro “O tempo em estado sólido” (Grua) foi finalista dos prêmios Portugal Telecom de Literatura e Jabuti. Em 2015 lançou o romance “Turismo para cegos”, pela Cia. Das Letras, eleito o melhor romance deste ano pelo prêmio Machado de Assis. Em 2019, pela mesma editora, publicou “Em plena luz”. Tércia é articulista do Jornal Rascunho, de Curitiba, e também mantém uma coluna no jornal O Povo, publicando textos quinzenais neste espaço.

Daniel Munduruku

Daniel Munduruku

Autor de mais de 54 obras, escritor e educador brasileiro, de origem indígena, da etnia Munduruku. Graduado em filosofia, com licenciatura em História e Psicologia, pelo Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL). Fez mestrado e doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (USP) e pós-doutorado em Linguística pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). 

Sua literatura remonta à tradição oral indígena, compreendendo fábulas, contos e mitos de criação. Seus textos acadêmicos abordam em especial questões educacionais, identitárias, culturais e linguísticas dos povos originários do Brasil.  Como diretor-presidente do Instituto Uk’a – Casa dos Saberes Ancestrais, tem fortalecido o movimento de escritores de origem indígenas das mais diversas etnias. É membro da Academia de Letras de Lorena. Recebeu a comenda do mérito cultural duas vezes e vários prêmios no Brasil e no exterior, dentre eles o Prêmio Jabuti. Muitos de seus livros receberam o selo Altamente Recomendável pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil – FNLIJ.

Autor de “Histórias de índio”, “Coisas de índio” e “As serpentes que roubaram a noite”, os dois últimos premiados com a Menção de livro Altamente Recomendável pela FNLIJ. Seu livro “Meu avô Apolinário” foi escolhido pela Unesco para receber Menção Honrosa no Prêmio Literatura para Crianças e Jovens na questão da tolerância.

Lecionou durante dez anos e atuou como educador social de rua pela Pastoral do Menor de São Paulo. Esteve em vários países da Europa, participando de conferências e ministrando oficinas culturais para crianças. Entre outras atividades, participa ativamente de palestras e seminários destacando o papel da cultura indígena na formação da sociedade brasileira. Tem publicado várias obras em diferentes editoras brasileiras.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out LoudPress Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out LoudPress Enter to Stop Reading Page Content Out LoudScreen Reader Support